Esses são os 4 medos da vida – Como superar cada um deles?

Esses são os 4 medos da vida – Como superar cada um deles?

Na antiga sabedoria tolteca, existem quatro medos da vida que paralisam as pessoas. Milhares de anos atrás, os toltecas eram conhecidos em todo o sul do México como “mulheres e homens de conhecimento”. Os toltecas eram cientistas e artistas que formavam uma sociedade para estudar e preservar o conhecimento espiritual e as práticas de seus ancestrais.

O sentimento de angústia pela presença de uma ameaça está latente em todos nós; É uma forma instintiva de reagir a um perigo (real ou imaginário) que surge de um momento para o outro e pode permanecer por muito tempo.

Os problemas que todos enfrentamos no dia a dia podem causar essas angústias porque nos sentimos vulneráveis ​​ou desprotegidos e temos medo de correr riscos, medo do desconhecido, medo de experimentar algo novo, medo de errar. No entanto, o medo não é totalmente negativo, pois é parte do inconsciente que nos ajuda a sobreviver.

O medo limita e ainda é uma sensação desagradável que frustra e desconcerta. Embora às vezes seja inevitável e difícil de enfrentar, não é impossível clarificar o panorama, tudo é sobre a nossa capacidade de autoanálise, de poder fazer alguma introspecção e sobretudo estar atento a isso para o ultrapassar.

Os quatro medos da vida

1. Medo da solidão

O ego é a causa de te fazer acreditar que você está só, que não está unido aos outros, para te fazer se sentir o protagonista da vida, buscando o reconhecimento, em todos os níveis que imaginas, na família, com os amigos, com parceiro, no trabalho.

Não somos capazes de compreender que a separação não é real, que tudo está conectado e que todos nós estamos conectados uns com os outros. Atrás do medo da solidão está o medo de se encontrar, medo do silêncio que nos permitirá escutar, e nem tudo é belo, é abrir a porta de nossas luzes e também de nossas trevas.

Como superar esse medo?

Quando você dá força àquela luz que vem de você, você começa a olhar com os olhos do seu coração e começa a ter consciência de que está sempre acompanhado. É a companhia com seu ser interior e com o Criador. 

Veja a solidão como uma oportunidade de autoconhecimento, de compartilhar consigo mesmo, de aprender a nos ouvir e entender que a separação é apenas uma abordagem ilusória que permitirá que nosso medo da solidão deixe de nos limitar.

2. Medo da escassez

Você sente que não merece as coisas boas que esta vida tem, e começa a sentir aquele medo da falta de dinheiro, da falta de oportunidades, de sentir falta de recursos para poder alcançá-lo, de ser cada vez mais abundante. Sempre se sentir vítima é um sinal de que o medo está invadindo você. Superar isso requer um trabalho consigo mesmo.

Como superar esse medo?

Temos que reestruturar nossos pensamentos, parar de pensar que apenas alguns têm os recursos para se sobressair nesta vida, parar de acreditar que a vida é uma competição contra os outros para sobreviver. Devemos nos concentrar na abundância que existe em nosso ser, acreditar em nós mesmos, olhar ao nosso redor e ver que também há abundância.

Por outro lado, seja grato por tudo que vier até nós. Quando você agradece, começa a dar clareza ao estado de abundância. Seja grato por tudo que você tem neste momento e por tudo que está por vir, você começa a ser perceptível de todas as coisas que são oferecidas a você todos os dias. 

3. Medo da doença

“Doença” é uma palavra composta do latim “in-firmus”, que significa “Sem firmeza”. A doença é um desequilíbrio do seu estado de consciência. Quando você começa a se sentir fraco, é claro que você perdeu sua força interior. Se você começar a erradicar a autoculpa, estará deixando as prisões da sabotagem mental e se libertará dessas amarras. Paradoxalmente, o medo da doença nos predispõe a adoecer.

Como superar esse medo?

Reconcilie-se com o passado, perdoe intimamente em seu coração todos os eventos de dor e encha seu coração de alegria, perdão e paz. Pense positivo sobre você. O remédio para as doenças é o Amor. Você perceberá que, de todos os medicamentos, o amor também cria o vício. Encha-se de amor, pois ninguém pode dar o que não tem, dê amor e você receberá amor em troca.

O mundo precisa de você com saúde, para cumprir seu papel de gestor de mudanças neste planeta, que precisa curar sua alma.

4. Medo da morte

Para algumas pessoas é mais forte do que outras, e o medo da morte é inegável, pois é um estado completamente desconhecido. Temos medo de não existir mais e das pessoas que vamos deixar. Para alguns, a vida termina com a morte, para outros, a reencarnação.

É difícil pensar que esse momento chegará até nós, mas você pode pensar: Como você será lembrado? Como seus entes queridos vão dizer adeus? O que eles diriam sobre você? Eles pensariam bem de você? Ou eles vão pensar que você falhou em muitas áreas de sua vida? Haverá pessoas felizes porque você não está mais aqui? Haverá quem sinta profundamente a sua partida e que deixou um espaço vazio na humanidade, que ninguém poderá preencher? Todas essas perguntas serão respondidas quando chegar a hora, e será apenas sobre quem você foi e como viveu a vida.

Como superar esse medo?

O medo da morte é superado quando seu objetivo é se projetar na Transcendência de sua dedicação, bondade, generosidade, desapego, altruísmo, amor ao próximo, capacidade de se despir, incondicionalmente, sem esperar retribuição, que ficará na memória e corações com os quais você fez contato na vida e fez feliz. A melhor maneira de combater o medo da morte é simplesmente vivendo.

Vivendo cada momento, no aqui e agora, desfrutando de uma nova experiência segundo a segundo, de integração para poder espremer a vida ao máximo.

Depois de superar um medo, você se sente invencível e percebe que muitas das coisas que nos impedem nada mais são do que armadilhas mentais que devemos deixar para trás.

Deixe uma resposta