Não confia em si mesmo? Esta parábola sobre autoconfiança pode te ajudar

You are currently viewing Não confia em si mesmo? Esta parábola sobre autoconfiança pode te ajudar

Uma parábola sabia sobre autoconfiança.

Há muito tempo atrás havia um ancião sábio que era amado por todos porque, sempre que alguém precisava, o homem falava seus preciosos conselhos. 

Um dia, um menino triste foi até ele pedir ajuda e ele se apresentou dizendo: “Querido Mestre, vim aqui porque me sinto inútil e não tenho forças para fazer nada. As pessoas me dizem que sou inútil, que sou incapaz, que sou desajeitado, estúpido e tolo. Me diga, por favor, o que posso fazer para melhorar e ser admirado pelos outros?

O sábio, sem nem desviar o olhar do que estava fazendo, respondeu: “Sinto muito meu rapaz, agora não posso te ajudar porque tenho que resolver meu problema, talvez mais tarde…“, e depois de um curta pausa continuou dizendo: “No entanto, se você estivesse disposto a me ajudar eu poderia resolver esta situação mais rapidamente e nesse ponto, talvez, eu possa fazer algo por você”.

O jovem, após essa resposta, sentiu ainda mais tristeza, pois suas necessidades haviam sido colocadas em segundo plano pela enésima vez, porém, pensando que não tinha nada a perder, gaguejando disse-lhe: “Claro mestre, é um prazer poder ajudar“.

O Mestre, satisfeito, exclamou: “Muito bem!” Em seguida, ele tirou o anel que usava no dedo mindinho da mão direita e o entregou ao menino dizendo: “Preciso vender este anel porque tenho que pagar uma dívida. Pegue e vá ao mercado com meu cavalo, tente vendê-lo para alguém e consiga o máximo de dinheiro possível, mas cuidado, não dê a ninguém por menos que uma moeda de ouro. Por favor”.

O jovem, seguindo as instruções do sábio, foi ao mercado e começou a oferecer a joia aos comerciantes presentes, que, inicialmente, todos pareciam bastante interessados.

No entanto, sempre que o menino mencionava o preço do anel, eles riam ou se afastavam; apenas um ancião se deu ao trabalho de explicar a ele que uma moeda de ouro era valiosa demais para ser trocada por aquele simples anel. Um homem veio oferecer uma moeda de prata e um pote de cobre, mas não querendo desobedecer ao seu Mestre, o menino recusou a proposta e, entristecido, montou em um cavalo para retornar ao sábio.

Durante a viagem ele não conseguia parar de pensar que se tivesse uma moeda de ouro, poderia resolver o problema do Mestre que, livre de preocupações, poderia finalmente dar os melhores conselhos.

Ao chegar na casa do mestre, com o coração na boca , ele disse: “Mestre, não consegui vender a moeda pelo valor que você queria e sinto muito. Acho que o máximo que consigo são duas ou três moedas de prata, mas não mais. Não tenho vontade de enganar ninguém sobre o verdadeiro valor do anel ”.

Depois de alguns momentos, o Mestre respondeu: “O que você disse é muito importante meu caro menino. É verdade que antes de tudo precisamos saber o verdadeiro valor do anel e somente um profissional poderá nos dizer. Pegue o cavalo e vá ao joalheiro. Peça para avaliar o anel e quanto ele está disposto a lhe dar em troca. Porém, não venda para ele, por favor, não importa o quanto ele possa te oferecer, volte aqui com o anel ”.

O jovem seguiu novamente as instruções que lhe haviam sido dadas e foi com o cavalo até o joalheiro.

O ourives examinou cuidadosamente o anel com uma lupa e, depois de pensar nele por alguns minutos, disse: “Jovem, diga ao seu Mestre que, se ele precisar vender urgentemente, não posso lhe dar mais de 58 moedas de ouro“.

Não acreditando em seus ouvidos, espantado, o jovem perguntou: “58 MOEDAS DE OURO?

Exatamente, mas se eu tivesse um pouco mais de tempo, poderia subir para 70 moedas. Mas se ele tiver que vender logo, não posso oferecer mais nada”, respondeu o homem.

O menino, empolgado, correu de volta ao Mestre para lhe contar todas aquelas boas notícias.

Depois de ouvir atentamente as palavras do jovem, o sábio lhe disse: “Veja, querido amigo, você é como o anel, uma alegria, preciosa e única. Por esta razão, quem pode se dar ao luxo de valorizá-lo só pode ser um verdadeiro especialista. Mas é preciso saber que nem todos poderão descobrir o seu verdadeiro valor”.

Nunca permita que as palavras de alguém façam com que você perca a fé em si mesmo.

Deixe um comentário