3 Ladrões de pensamento positivo que você deve eliminar da sua vida

3 Ladrões de pensamento positivo que você deve eliminar da sua vida

“Nunca se torne pessimista… O pessimista é mais correto do que um otimista, mas um otimista se diverte mais e ninguém pode parar o curso dos acontecimentos”

Assim disse, Robert Anson Heinlein. É claro que não se trata de cultivar o otimismo ingênuo, mas ver apenas o lado mais negativo da vida não ajuda.

O pensamento positivo, com todos os seus fãs leais e detratores, consiste em repetir uma série de declarações positivas para neutralizar pensamentos negativos recorrentes. É uma transformação de atitude muito mais profunda que implica sermos capazes de detectar nossos pensamentos destrutivos, aqueles que pioram as situações, e sermos capazes de assumir uma atitude mais construtiva que nos beneficiará.

O pensamento positivo incentiva a ação, nos torna pessoas proativas que assumem a responsabilidade por suas vidas. Ao contrário, uma atitude negativa baseada em pensamentos destrutivos nos faz sofrer, e nos leva a um círculo vicioso. É por isso que é importante prestar atenção aos pensamentos que agem como vampiros enquanto sugam nossa energia e positividade.

Pensamentos que bloqueiam e impedem você de crescer

Em certo sentido, esses pensamentos destrutivos são uma espécie de tortura psicológica que aplicamos a nós mesmos.

1. Pensamento de privação

Somos todos vítimas do pensamento de privação, e é por isso que esse é o primeiro ladrão de pensamentos negativos do qual devemos nos livrar se queremos desenvolver uma atitude mais positiva.

Na prática, temos esse pensamento sempre que nos concentramos no que perdemos, no que poderíamos perder ou no que poderíamos ter. Isso só gera sofrimento, significa observar apenas que o copo está meio vazio, sem perceber que também está meio cheio.

O problema com esse tipo de pensamento é que nos leva a focar exclusivamente na perda, então não conseguiremos enxergar as novas oportunidades. Se continuarmos chorando pelo amor perdido, nunca estaremos prontos para começar um novo relacionamento que pode nos dar tantas coisas bonitas.

Da mesma forma, se em um relacionamento apenas pensamos que podemos perder aquela pessoa, acabamos desenvolvendo um ciúme louco que acabará sufocando a outra pessoa e a tirando de nós.

De qualquer perspectiva que olhemos, o pensamento negativo não nos dá nada de interessante e positivo, mas nos condena a um ciclo de reclamação e autopiedade.

2. Pensamento de negação

O segundo “ladrão” que frequentemente encontramos é o pensamento de negação, e é um dos piores porque normalmente não temos consciência de sua existência. 

No entanto, esse pensamento nos convence de que não podemos atingir um determinado objetivo ou viver certas experiências. É um limite que nos impomos, nos condena a permanecer na nossa zona de conforto, onde não somos felizes, mas nos limitamos a sobreviver.

O curioso é que esse pensamento não é nosso, mas fomos introjetados por nossos pais, professores ou diretamente da sociedade. Por exemplo, se pensarmos que precisamos de um capital inicial significativo para iniciar um negócio, nunca lançaremos nossa ideia. 

O principal problema é que esse pensamento nos impede, por isso nem procuraremos soluções alternativas para realizar nosso sonho ou projeto.

Da mesma forma, se inconscientemente pensarmos que não merecemos ser amados ou estimados, iremos sabotar todas as nossas relações, porque é mais fácil confiar nos sinais que confirmam nossas convicções do que naqueles que as negam.

A ideia de negação é tão forte que se torna uma espécie de “deficiência psicológica” que nos condena a permanecer no que conhecemos e nos impede de crescer.

3. O pensamento de subtração

O último dos nossos ladrões de pensamento positivo é o chamado pensamento de subtração. Esse pensamento surge da convicção de que devemos sempre ter mais porque somar significa sucesso, enquanto subtrair é sinônimo de fracasso. Porém, ser maduro não significa somar, mas aprender a subtrair.

O pensamento de subtração gera um medo tremendo de ter cada vez menos, de não poder somar continuamente. Assim, corremos o risco de ficar obcecados em ter menos do que os outros, ser menos felizes, menos amados, ter menos oportunidades e, claro, ganhar menos.

O problema é que esse tipo de pensamento nos deixa ansiosos e hiperativos, buscando cada vez mais, mesmo que não saibamos exatamente o que esse “mais” significa. 

Esse pensamento gera a ilusão de que o sentido da vida é a acumulação e, como sempre precisamos de mais, nunca estamos satisfeitos. É como se fôssemos um hamster correndo em uma roda que não pára, até que nossa própria velocidade nos deixa tontos.

Mas para encontrar a paz interior e ser feliz, só temos que nos sentir gratos pelo que temos, isso não significa que não devamos estabelecer novos objetivos, mas sim nos permitir a permissão para sermos felizes aqui e agora enquanto caminhamos em direção ao objetivo que desejamos conseguir.

Mude a frequência e se sintonize com novos pensamentos

Todos nós, mais cedo ou mais tarde, somos vítimas desses pensamentos negativos que se tornam obstáculos ao nosso desenvolvimento. Podemos considerá-los como a frequência de um rádio. Quando você ouve uma estação de que não gosta, basta alterar a frequência. O mesmo se aplica a pensamentos negativos que drenam nossa energia mental.

Em vez disso, você pode colocar pensamentos mais realistas que o ajudarão a alcançar seus objetivos, definir novos objetivos ou apenas ser um pouco mais feliz. Na verdade, nem precisam ser “pensamentos positivos”, seria melhor defini-los como “pensamentos em desenvolvimento”. 

Em primeiro lugar, você deve iniciar um processo de autodescoberta que lhe permitirá saber qual é a origem desses pensamentos, quais são as ideias erradas que estão na base e alimentá-los. Quando você percebe que essas crenças não são adaptativas, elas não o fazem feliz e você não tem razão para ser, seus novos pensamentos positivos se tornarão sua realidade.

Deixe uma resposta