4 Conselhos budistas para controlar a ansiedade

4 Conselhos budistas para controlar a ansiedade

O budismo é, como filosofia de vida, uma forma de estarmos bem conosco e com o meio ambiente.

Num mundo cada vez mais rápido e competitivo, que nos obriga a assumir responsabilidades cada vez maiores, é normal sentir-se ansioso ou estressado.

No entanto, como bem sabemos, essa tensão espiritual se traduz em uma deterioração da saúde. De problemas cardíacos a problemas de pele, o estresse se manifesta em nosso corpo das mais diversas maneiras.

Além disso, esse ritmo de vida nos impede de viver o momento presente, que é o único que nos pertence.

Portanto, esses quatro conselhos budistas podem te ajudar a controlar o estresse e a ansiedade e a se reconciliar consigo mesmo.

4 Conselhos budistas para controlar a ansiedade

1. Você é responsável por si mesmo: É inútil responsabilizar os outros pelos nossos problemas, porque no final, o ato de libertação sempre dependerá de nós mesmos.Cientes disso, temos que saber assumir nossos limites e aprender a enfrentar os problemas com eles.

2. A importância do aqui e agora: Como dissemos, o momento presente é o único que nos pertence. Às vezes temos uma tendência ruim para viver no passado ou sempre esperar o que está por vir.

Mas, vale a pena viver ciente do que não está aqui e agora? Na verdade, a chave para ficar calmo e reduzir a ansiedade é ser capaz de aproveitar o momento presente.

3. O valor do desapego: Se você fixa sua existência em coisas ou pessoas, está restringindo sua liberdade e ganhando sofrimento. As coisas podem ou não ser mais. As pessoas podem reagir como você espera ou não.

Ter sua vida carregada de apegos obsessivos e tentar controlar o que todos ao seu redor estão fazendo é a pior ideia. Você carregará, além de sua própria vida, a responsabilidade por tudo que o cerca.

4. Você cometerá os mesmos erros até que possa aprender com eles: Se nossas ações não forem corretas, estaremos criando um Karma negativo.

O budismo entende que todas as pessoas têm a possibilidade de reparar os erros que cometem, desde que obtenham a abordagem correta para o problema. Mas também que toda ação tem consequências.

Portanto, se você sentir que está cometendo um erro que já cometeu, sente-se por um momento, respire fundo e pense: De que outra forma posso resolver esse problema?

Deixe uma resposta