Como a ordem de nascimento influencia na personalidade dos irmãos?

Como a ordem de nascimento influencia na personalidade dos irmãos?

Alguns especialistas têm a teoria de que a ordem de nascimento é uma ferramenta importante para prever o comportamento adulto e para determinar a forma de sentir e perceber o mundo. O psiquiatra Alfred Adler (1870-1937) propôs pela primeira vez uma teoria sobre o efeito da ordem de nascimento na personalidade.

Tipos de personalidade entre irmãos

O filho mais velho é programado para excelência e realização, o filho do meio é criado para ser compreensivo e conciliador, e o filho mais novo busca atenção. A ordem de nascimento dos irmãos é uma variável poderosa no que diz respeito ao desenvolvimento da personalidade.

O filho mais velho: Líder e responsável

As crianças mais velhas costumam ter mais em comum com outras crianças mais velhas do que com seus próprios irmãos. Por serem os primeiros, seus pais deram tanta atenção a eles quando eram os únicos filhos na casa que tendem a ser muito mais responsáveis, atenciosos, equilibrados e confiáveis ​​do que seus irmãos. Eles são, de certa forma, uma projeção de seus pais.

As crianças mais velhas são geralmente: Confiantes, são cautelosas, controladoras, bem-sucedidas, responsáveis, sabem como se comportar, refletem uma versão em miniatura de seus próprios pais.

Em geral, são pessoas que realizam muitas coisas e buscam a aprovação dos outros, mas por outro lado são dominadores e perfeccionistas. Eles geralmente se dão melhor em carreiras de liderança, como advocacia, medicina ou como gerentes. Com seus irmãos agem como se fossem mini-pais, então tentam dominar seus irmãos se acostumando a ser os guias de outras pessoas, já que assumiram esse papel com seus irmãos.

O grande problema que os irmãos mais velhos enfrentam é que, quando o próximo irmão chegar, eles podem ter uma sensação de perda, pois serão destronados daquele lugar especial que foi o único que lhes deu. Toda a atenção, que antes era exclusivamente dele, agora deve ser compartilhada com seu irmão. Esse sentimento de perda pode levar a certa propensão a desenvolver um caráter melancólico.

Geralmente, os primogênitos são pessoas exigentes e precisas, gostam de prestar atenção aos pequenos detalhes e assumir o comando. Eles são orientados por objetivos, desejam controle total e precisam vencer e ser vitoriosos em tudo.

O filho do meio: sociável e compreensível

O filho do meio muitas vezes se sente ignorado por pensar que a atenção dos pais está voltada para o filho mais velho ou o filho mais novo. Esses tipos de pensamentos podem deixar rastros que acabam gerando esses tipos de características:

Os filhos do meio sentem que não têm recebido a atenção necessária dos pais e, por isso, procuram compensar esse déficit com seu grupo de amigos.

É por isso que os filhos do meio são caracterizados por terem um círculo de amigos muito próximo, que eles sentem como se fossem uma parte adicional de sua família. Nesse grupo de amigos, procuram obter a atenção que provavelmente não sentiam que recebiam da família.

O traço de personalidade que define os filhos do meio é exatamente oposto ao do irmão mais velho ou mais novo. Para evitar conflito e competição direta, o filho do meio geralmente segue uma direção marcadamente oposta à de seus irmãos. 

Eles tendem a agradar as pessoas e geralmente odeiam o confronto, gerando uma grande capacidade de negociação. Essa habilidade é desenvolvida desde os primeiros anos de vida, a partir do momento em que eles entendem o que devem fazer para chamar a atenção dos pais. Eles são especialistas em ver os dois lados de um problema e estão sempre dispostos a deixar todos felizes.

Como sua vida social se desenvolveu melhor que a de seus irmãos, tendem a se relacionar melhor com as pessoas, não têm dificuldades para atuar em equipe, são confiáveis, constantes e leais.

O filho mais novo: bom e sedutor

Os filhos mais novos tendem a ser os mais independentes, pois os pais, por terem mais experiência e menos tempo para cuidar, também lhes atribuem menos responsabilidades.

As crianças mais novas são geralmente adoráveis, descomplicadas, manipuladoras, egocêntricas, autônomas, sociáveis.

Os filhos mais novos encontram pais preparados, que já ganharam experiência e confiança suficientes em seus papéis de pais, razão pela qual tendem a ser menos exigentes e relaxados com os filhos, uma vez que não se preocupam tanto com coisas desnecessárias quanto antes com os irmãos mais velhos. Por isso ficam mais livres e, por terem sido o “bebê” da família, têm menos responsabilidades, por isso tendem a gerar um estilo mais criativo e descontraído.

A experiência dos pais significa que eles não estão tão cientes das ações do menor; É por isso que os mais novos têm mais liberdade do que os irmãos, por isso desenvolvem uma personalidade mais independente. 

Mas, ao mesmo tempo, procuram atrair atenção permanente, gerando uma personalidade cheia de carisma e simpatia. Eles geralmente são os piores alunos, os palhaços da classe e a vida da festa. Embora sejam pessoas alegres e extrovertidas, tendem a se entediar rapidamente e têm um forte medo da rejeição e falta de atenção. 

Devido às suas habilidades com as pessoas, os últimos nascidos podem ser muito bons manipuladores. Geralmente, as crianças mais novas escolhem atuação, música, design…

O filho único

Ser filho único é uma posição complexa em uma família. Sem irmãos para competir com ele, ele monopoliza toda a atenção e recursos de seus pais, mas não apenas durante a infância, mas ao longo de sua vida.

Filhos únicos são extremamente perfeccionistas, hiper responsáveis, dirigentes, líderes. Eles se sentem mais confortáveis ​​com adultos do que com outras crianças.

Somente as crianças crescendo cercadas de adultos, são mais verbais e geralmente mais maduras.

Isso pode permitir que desenvolvam ainda mais seu intelecto, uma vez que, tendo passado tanto tempo sozinhos, estão gerando certas habilidades, como criatividade. Em muitos aspectos, os filhos únicos são muito semelhantes aos primogênitos, mas levam suas qualidades ao extremo. 

Eles são líderes naturais e tendem a ser muito perfeccionistas, conservadores e organizados. Eles são difíceis de lidar. Muitas vezes são implacáveis, muito exigentes e detestam admitir que estão errados e geralmente não aceitam bem as críticas.

O quarto, quinto e sexto filho repetem as tendências do primeiro, segundo e terceiro filhos. O mesmo para o seguinte.

Deixe uma resposta