“O mendigo Juan” Uma reflexão que vai te dar força e coragem para enfrentar os desafios da vida

“O mendigo Juan” Uma reflexão que vai te dar força e coragem para enfrentar os desafios da vida

“O MENDIGO, JUAN”

Certa manhã, uma mulher bem vestida estava diante de um homem indefeso, que lentamente ergueu os olhos… e olhou com clareza para a mulher que parecia acostumada às coisas boas da vida. Seu casaco era novo com uma das melhores peles… Parecia que ela nunca tinha pulado uma refeição em sua vida. Seu primeiro pensamento foi: “Ela só quer tirar sarro de mim, como tantos outros fizeram…”

“Por favor, me deixe só!! O sem-teto reclamou…” Para sua surpresa, a mulher continuou na frente dele. Ela estava sorrindo – seus dentes brancos brilhavam deslumbrantemente; seu perfume é uma fragrância incomparável, uma das mais caras de paris…

“Está com fome?” ela perguntou. “Não,” ele respondeu sarcasticamente. “Acabei de voltar de um jantar com o presidente… Agora vá.”

O sorriso da mulher ficou ainda maior.

De repente, o homem sentiu uma mão macia debaixo do braço. “O que você está fazendo, senhora?” perguntou o homem zangado.

“Eu disse para você me deixar em paz”…

Nesse exato momento, um policial se aproxima. “Algum problema, senhora?” O oficial perguntou a ela…

“Não tem nenhum problema, policial”, respondeu a mulher… “Só estou tentando ajudá-lo a se levantar…”

O oficial coçou a cabeça e disse: “O Velho Juan, tem sido um obstáculo por aqui nos últimos anos…”

“O que você quer com ele?” Perguntou o oficial…

“Vê o restaurante lá?” ela perguntou. Um dos melhores e mais elegantes da cidade “Vou dar-lhe de comer e tirá-lo do frio.”

“Você está louca, senhora?” O pobre sem-teto resistiu. “Eu não quero ir lá!” 

Então ele sentiu duas mãos fortes agarrando seus braços e o levantando.

“Me solta oficial, eu não fiz nada…”

“Vamos lá, velho, esta é uma boa oportunidade para você”, sussurrou o oficial em seu ouvido.

Por fim, e com alguma dificuldade, a mulher e o policial levaram o velho Juan ao restaurante e o sentaram a uma mesa em um canto. Era quase uma hora da tarde, a maioria das pessoas já havia almoçado e o grupo do almoço ainda não tinha chegado…

O gerente do restaurante veio e perguntou. “O que está acontecendo aqui, oficial? O que é tudo isso? Este homem está com problemas?”

“Esta senhora o trouxe aqui para comer alguma coisa”, respondeu o policial.

“Oh não, não aqui!” o gerente respondeu com raiva. “Ter uma pessoa assim aqui é ruim para o meu negócio!!!

O velho Juan sorriu com seus poucos dentes. “Senhora, eu disse a você. Agora, vocês vão me deixar ir? Eu não queria vir aqui desde o início.”

A mulher voltou-se para o gerente do restaurante e sorriu… “Senhor, você conhece o banco…? A empresa bancária que fica a dois quarteirões de distância?”

“Claro que os conheço”, respondeu o administrador impaciente. “Seu restaurante serve comidas nas reuniões semanais lá e você ganha uma boa quantia nessas reuniões, não é mesmo?

O gerente respondeu… “E o que isso importa para você?”

“Eu, senhor, sou Penelope Hernández, presidente e proprietária do referido banco”. “Oh, perdão!!” Disse o gerente…

A mulher sorriu novamente. “Eu pensei que isso poderia fazer uma diferença no tratamento deles.”

“Claro, excelentíssima senhora, Me perdoe, é que esse homem com essa aparência assusta a clientela…”

O policial, que estava se esforçando para conter uma risada. “Gostaria de fazer uma refeição conosco, oficial?” “Não, obrigado, senhora”, respondeu o oficial. “Estou de plantão”.

“Então, talvez uma xícara de café para ir?”

“Sim senhora. Isso seria melhor”.

O gerente da cafeteria girou nos calcanhares como se recebesse um pedido.

– “Trarei o café para você imediatamente, Sr.”

Ela se sentou à mesa com seu convidado para almoçar. Ela olhou para ele…

“Juan, você se lembra de mim?”

O velho Juan olhou para seu rosto rejuvenescido de alegria, com os olhos marejados. “Acho que sim – quer dizer, parece familiar.”

“Olha Juan, talvez eu seja um pouco mais velha, mas olha bem para mim”, disse a Senhora. “Talvez eu pareça mais gorda agora… mas quando você trabalhou aqui muitos anos atrás eu vim aqui uma vez, e por aquela mesma porta, morta de fome e frio.”

Algumas lágrimas caíram em seu rosto.

“Em?” disse o oficial, Ele não podia acreditar no que estava testemunhando, nem mesmo pensar que a mulher pudesse ficar com fome.

“Eu tinha acabado de me formar na universidade da minha cidade”, comentou a mulher. “Vim para a cidade à procura de emprego, mas não encontrei nada”. Com a voz trêmula, a mulher continuou: “Mas, quando eu tinha meus últimos centavos e eles me expulsaram do meu apartamento. Eu estava andando pelas ruas e estava frio e quase morrendo de fome. Eu vi este lugar e entrei com uma pequena chance de conseguir algo para comer.” Com lágrimas nos olhos a mulher continuou falando…

Juan me cumprimentou com um sorriso. “Agora me lembro”, disse Juan. “Eu estava atrás do balcão de atendimento. Ela veio e me perguntando se poderia trabalhar para comer alguma coisa.” “Sim, e você me disse que era contra a política da empresa.”

A mulher continuou… – “Então, você fez para mim o maior sanduíche de carne que eu já tinha visto… você me deu uma xícara de café, e eu fui para um canto saborear minha comida. Eu temia que isso te colocasse em problemas. Então, quando eu olhei e vi você colocar o preço da comida na caixa registradora, eu sabia que tudo ia ficar bem.”

“Então você começou seu próprio negócio?” Disse o velho Juan.

“Sim, encontrei um emprego naquela mesma tarde. Trabalhei muito e subi com a ajuda do Senhor Jesus Cristo. Abri meu próprio negócio que, com a ajuda de Deus, prosperou e agora possuo uma rede bancária…” Ela abriu sua bolsa e tirou um cartão. “Quando terminar aqui, quero que vá visitar o senhor Martínez. Ele é o gerente da área. Vou falar com ele e tenho certeza que ele vai encontrar algo para você fazer algo no escritório.”

Ela sorriu e deu um dinheiro o suficiente para ele comprar algumas roupas e conseguir um lugar para morar. “Se você precisar de algo, minha porta está sempre aberta para você Juan.”

Havia lágrimas nos olhos do velho. “Como posso agradecer?” Ele perguntou.

“Não me agradeça”, respondeu a mulher. “Dê glória a Deus. Ele me trouxe até você.”

Do lado de fora do restaurante, o policial e a mulher pararam e antes de seguirem seu caminho ela agradeceu… “Obrigado por toda a ajuda, policial,”

Disse a Sra. Hernández.

“Pelo contrário, disse o oficial,” “Obrigado. Hoje vi um milagre, algo que jamais esquecerei. E… obrigado pelo café…

Que Deus sempre te abençoe e não se esqueça que quando jogamos um pão na água, nunca sabemos quando será devolvido a você. Deus é tão grande que pode cobrir o mundo inteiro com seu amor e ao mesmo tempo tão pequeno para entrar no seu coração.

Quando Deus o levar à beira do precipício, confie nele totalmente e deixe que ele cuide de tudo.

Apenas 1 de 2 coisas vai acontecer, ou ele vai te segurar quando você cair, ou ele vai te ensinar a voar!

O poder de uma frase! Deus vai mudar as coisas hoje e colocar tudo a seu favor.

Deus fecha portas que nenhum homem pode abrir e Deus abre portas que nenhum homem pode fechar!

Se você gostou dessa reflexão, compartilhe com seus amigos!

Deixe uma resposta