11 Coisas que arruinaram meu casamento – Não deixe que isso arruíne o seu!

O blogueiro Dan Pearce publicou em seu site uma lista de coisas que “arruinaram o casamento”, em uma tentativa de ajudar outros casais a não fazerem o mesmo.

Compartilhamos o texto abaixo:

1. Não pare de segurar as mãos

Quando comecei a namorar a mulher com quem acabei me casando, sempre segurei na mão dela. No carro. Quando andamos. Durante uma refeição. Em filmes. Com o tempo, eu parei de fazer isso. 

Eu inventei desculpas como se eu tivesse uma mão muito quente ou suada, ou que me incomodasse de andar de mãos dadas em público.

A verdade é que parei de segurar as mãos porque parei de querer tentar estar perto de minha esposa. Essa foi a única razão.

Se eu tivesse outra chance: eu apertaria minha mão dela sempre.

2. Não pare de tentar ser atraente

Quando eu estava tentando impressionar, eu era o mais bonito possível toda vez que eu a via. Sempre tinha a barba arrumada. Sempre cheirava bem. 

Por alguma razão, estar casado me fez sentir como se eu pudesse parar de fazer tudo isso. Eu me arrumei bem, cheirei bem e vesti roupas bonitas, sempre íamos a algum lugar ou saíamos sozinhos, mas raramente se preocupava em ser atraente para ela.

Se tivesse outra chance: tentaria causado uma boa impressão durante todo o casamento. Eu tentaria ser desejável para ela.

3. Nem sempre aponte seus defeitos

Por alguma razão, sempre houve um ponto em que eu acabava acreditando que precisava contar a ela o que havia de errado e como ela poderia melhorar. Certamente isso não aconteceu quando estávamos namorando.

Depois do casamento, às vezes ela não conseguia nem fazer alguns ovos sem eu dizer a ela como ela poderia melhorar.

Se tivesse outra chance: não diria nada sobre qualquer coisa que, na minha opinião, pudesse ser melhorada. Eu aprendi desde que meu casamento terminou que há mais de uma maneira correta de fazer quase tudo, e que as imperfeições dos outros são bonitas demais para tentar mudar.

4. Não pare de cozinhar para ela

Eu sabia como impressionar uma garota, cozinhando um bom cardápio e passando uma noite romântica. Por que, então, parei de fazer isso por ela depois de casado?

Sim, eu coloco uma sopa de lata no microondas, mas quase nunca lutei para impressionar quando já estávamos casados.

Se tivesse outra chance: priorizaria cozinhar para ela, e apenas para ela, algo ótimo pelo menos uma vez por mês. E eu me lembraria que a carne enlatada nunca é boa.

5. Não grite com ela

Não quero dizer gritos de raiva. Quero dizer os gritos de preguiça. Os gritos de quando você não quer se separar do programa de televisão que está assistindo ou não quer subir TODA A ESCADA até o último andar para perguntar se viu as chaves.

Não é preciso muito esforço, e gritar (por natureza) parece autoritário.

Se eu tivesse outra chance: procuraria por ela sempre que precisasse ou quisesse saber alguma coisa, e faria isso com educação. Eu sempre odiei que ela gritasse comigo, então por que parecia certo gritar com ela?

6. Não discuta na frente das crianças

Nunca houve uma discussão tão importante ou urgente que eu mal podia esperar que as crianças não estivessem à frente. Acho que você não precisa ser um ganhador do Nobel ou um psicólogo brilhante para saber por que discutir na frente das crianças é perigoso e egoísta.

Se eu tivesse outra chance: nunca, nunca, nem por uma vez eu discutiria na frente das crianças, por mais importante ou trivial que fosse o problema. Talvez nós inventássemos uma senha que significasse “com crianças aqui, não”.

7. Não se incentivem a parar de se exercitar

Sempre pensei que era amor dizer à minha esposa: “Não me importo se você não se cuida. Eu não me importo se você não se exercita.”

Mas era uma mentira, e era uma mentira, porque a verdade é que nós nos importamos, e eu gostaria que sempre tivéssemos dito a nós mesmos quão atraentes e bons éramos quando estávamos mais saudáveis.

Se eu tivesse outra chance: pediria que você me dissesse que se importa. Eu pediria que me incentivasse a ir à academia e também diria a você!

8. Não faça suas “necessidades” com a porta aberta

Não sei por que, mas em algum momento comecei a pensar que não havia problema em ir ao banheiro com a porta do banheiro aberta, e ela também.

Não há nenhum caso em que cocô seja atraente; portanto, quando me vi fazendo isso, mesmo que fosse quase imperceptível, deveria parecer um pouco menos atraente.

Se tivesse outra chance: fecharia a maldita porta.

9. Não pare de beijar

Chegamos a um ponto em que eu parei de beijá-la. Normalmente era por causa do estresse e porque havia tensão no relacionamento, mas eu piorei o fato de não querer beijá-la.

Claro, isso só a levou a se sentir rejeitada. E isso, é claro, levou a discussões sobre o assunto. Outras vezes eu tive meus próprios problemas com germes e coisas assim.

Se eu tivesse outra chance: eu a beijaria de manhã. Beijaria à noite, quando tivesse um longo dia. Beijaria a qualquer momento que pensasse que secretamente precisava de um beijo. 

10. Não pare de se divertir juntos

A idade não deveria importar. A capacidade física não deve importar. Os casais nunca deveriam parar de se divertir juntos, e eu realmente gostaria que não tivéssemos parado tantas vezes na rotina.

E tenho a experiência de saber que, quando falta diversão, e falta a parte social da vida, também há uma falta de capacidade de estar realmente
satisfeito um com o outro.

Se eu tivesse outra chance: inventaria uma regra pela qual nunca ficaríamos em casa por dois fins de semana consecutivos.

11. Não ignore coisas que são importantes para ela

No meu casamento, foi muito fácil vetar muitas das coisas que ela gostava de fazer. Meu argumento era que “podemos procurar coisas de que ambos gostamos”. Isso é patético.

Sempre haverá coisas que ela gosta e que eu nunca vou gostar, mas isso não é motivo para não dar apoio a ela. Às vezes você só precisa saber que eu estou lá.

Se tivesse outra chance: participaria de muitas coisas que ela gostava. Eu participaria ativamente.

Eu tinha escrito muito mais, mas a lista estava ficando muito longa. Não é incrível o quanto você aprende com os relacionamentos passados ​​que terminaram e o quanto você sabe que poderia ter feito de maneira diferente?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Reflexão: Carta de um homem para sua ex-esposa

10 Sinais de que você é uma pessoa muito inteligente, de acordo com a ciência