Marcas de nascença – Descubra o que elas indicam sobre sua vida passada!

Marcas de nascença – Descubra o que elas indicam sobre sua vida passada!

Você já se perguntou se existe reencarnação? Muitas pessoas acreditam que existe! As marcas de nascença podem ser a chave e uma possível resposta para encontrar tais evidências óbvias de sua existência.

Agora, um novo trabalho científico tenta relacionar marcas de nascença a experiências relacionadas de uma vida passada.

A pesquisa científica apoia essa ideia de marcas de nascença!

O primeiro cientista a ligar marcas de nascença a vidas passadas foi o Dr. Ian Stevenson, que investigou mais de 210 casos de crianças com marcas de nascença ou defeitos e tentou ligá-los às memórias que essas crianças tinham de suas vidas passadas.

Seu trabalho serviu de referência para um cientista da Universidade da Virgínia, Dr. Jim Tucker, que agora tenta mostrar que as marcas de nascença estão relacionadas a experiências em uma reencarnação anterior.

O Dr. Tucker apresenta casos surpreendentes que comprovam essa relação, como o caso de uma senhora que morou na Tailândia com a intenção de reencarnar em sua próxima vida, ainda criança.

NA ÍNDIA, OS MEMBROS DA FAMÍLIA SÃO MARCADOS PARA RECONHECÊ-LOS NA PRÓXIMA VIDA

Para atender ao último desejo da avó, a neta marcou a nuca com uma “pasta branca”.

Pois bem, pouco depois do fim da vida da mulher, a neta deu à luz um menino que apresentava uma estranha mancha branca na nuca, no local onde a avó colocara “a pasta branca”.

Quando o menino teve idade suficiente para falar, ele reivindicou a posse das coisas que pertenceram a sua avó como se sempre tivessem sido suas.

Este é um dos muitos casos investigados pelo Dr. Jim Tucker, nos quais as marcas de nascença parecem estar relacionadas com vidas passadas. Dr. Stevenson obteve um relatório de 49 casos.

A cicatriz e as marcas de nascença estavam localizadas a aproximadamente 10 centímetros uma da outra no corpo em 43% dos casos, e muitos estavam muito mais próximos do mesmo local.

Alguns casos verdadeiros de marcas de nascença:

O Dr. Ian Stevenson, em quem o trabalho de Tucker se baseia, investigou 210 casos de crianças com marcas de nascença ou defeitos que seriam consequência de alguma “memória” retida de outra vida. Stevenson obteve os relatórios em 49 casos. As estatísticas são tão surpreendentes que despertariam até os mais céticos.

Em 43% dos casos, as marcas de nascença estavam em um pequeno intervalo de 10 centímetros quadrados em relação às supostas cicatrizes causadas em uma vida passada, enquanto outras estavam muito mais próximas ou exatamente no mesmo local. 

Em algumas culturas que acreditam na reencarnação, aquele que saiu é marcado com fuligem ou pasta em determinado local do corpo para reconhecê-lo quando nascer de novo.

Os casos estão se acumulando no mundo das marcas de nascença

Existem casos em todo o mundo e após a publicação das descobertas do Dr. Stevenson compiladas e continuadas pelo Dr. Tucker, muitos usuários na Internet começaram a deixar seus relatos sobre marcas de nascença que também se relacionam com experiências traumáticas em um vida passada.

Embora esses relatórios mais recentes não tenham sido verificados, eles são mais do que impressionantes e até acrescentam um novo elemento: as marcas de nascença tendem a desaparecer quando a vida passada que as teria causado é lembrada?

Por exemplo… Karen Kubicko postou fotos dela mesma no colégio mostrando uma marca de nascença em seu pescoço e, posteriormente, fotos tiradas anos depois onde a marca havia desaparecido. A mulher disse que em 2011 ela tinha a memória de uma vida passada onde era uma mulher chamada Helen que havia desencarnado quando um incidente marcou seu pescoço em 1927.

A marca de nascença estava no mesmo lugar onde o evento teria ocorrido em sua outra vida. Depois de lembrar disso, a marca desapareceu gradualmente do pescoço de Karen.

Outra pessoa comentou que tinha uma marca de nascença na parte de trás da perna. Ela alegou se lembrar de uma vida passada onde foi picada por uma cobra no mesmo lugar.

Alguns anos depois de se lembrar disso, a marca em sua perna começou a desaparecer. Ela disse que a área onde a marca estava não estava muito exposta, então ele não pode culpar a exposição ao sol ou outros fatores externos.

Deixe uma resposta