Parábola budista que ensina a ignorar pessoas tóxicas

Parábola budista que ensina a ignorar pessoas tóxicas

A felicidade é essencial em nossas vidas, todo mundo merece ser feliz, porém, muitas pessoas são afetadas por pessoas tóxicas, que roubam o que elas tem de mais precioso, a felicidade!

É muito provável que você se sinta feliz porque tem algo ou porque tem alguém, é nisso que se resume a felicidade, quando a verdade não deveria ser assim.

Nós, como humanos, devemos ser felizes não importa o que aconteça e mesmo se acreditarmos que uma situação ou uma pessoa pode roubar nossa felicidade, estamos errados, não deveria ser assim, devemos ser felizes não importa o que aconteça.

Hoje, queremos conversar com você sobre uma parábola que vai te ajudar a ser feliz, sem depender de ninguém nem de nada, e temos certeza que será muito útil para sua vida.

Ser feliz só depende de você…

Muitos acreditariam que a felicidade pode ser comprada e que a nossa felicidade é algo tangível, um objeto de luxo, ou avanço tecnológico ou mesmo uma pessoa, mas não, a felicidade deve ser intangível, deve ser algo que só depende de nós.

Muitos se dizem felizes por ter o que têm, por mais que no fundo não sejam felizes, não têm ninguém ao seu lado, não podem aproveitar a vida com ninguém, estão sozinhos e a solidão certamente não é felicidade, claro que não você sempre precisa de alguém para ser feliz.

Ser feliz pode depender de muitas coisas, cada um dá seu sentido e como pode fazer para obtê-lo, mas muitas vezes nem tudo sai como queremos, quase sempre há alguém ou algo que parece fazer com que nossa felicidade não seja alcançada.

É muito possível que você se sinta infeliz porque alguém lhe disse algo e é por isso que queremos compartilhar esta parábola budista com você e ela diz assim:

“Certa vez, um homem se aproximou de Buda e, sem dizer uma palavra, cuspiu em seu rosto. Seus discípulos ficaram muito zangados.

Ananda, o discípulo mais próximo, perguntou a Buda:

Me dê permissão para dar a este homem o que ele merece!

Buda calmamente respondeu a Ananda:

– Não. Eu vou falar com ele!

E juntando as palmas das mãos em reverência, disse ao homem:

Obrigado. Com seu gesto, você me permitiu ver que a raiva não pode me afetar. Estou extremamente grato a você. Seu gesto também mostrou que Ananda e os outros discípulos ainda não aprenderam a lidar com a raiva dentro deles. Obrigado! Estamos muito gratos a você! Agora podemos ser pessoas melhores!

Obviamente, o homem não acreditou no que ouviu, sentiu-se emocionado e triste por ter tido tal atitude.

Sem dúvida, essa história nos mostra que ignorar pode fazer com que nosso equilíbrio interno não seja afetado por outras pessoas ou pelas ações que elas fazem.

Só nós podemos permitir o que nos afeta e o que não afeta.

Esperamos que você tenha gostado desse post.

Deixe uma resposta