A ciência comprova que as pessoas absorvem a energia umas das outras

A ciência comprova que as pessoas absorvem a energia umas das outras

Já aconteceu com você de estar com uma pessoa e sentir uma vibração muito ruim, como se estivessem roubando sua energia?

“Tudo é energia” é uma das principais sentenças da ciência, e o ser humano não é estranho às transformações energéticas.

Um estudo interessante foi realizado na Universidade de Bielefeld, na Alemanha, que mostra que as plantas podem absorver energia de outras plantas. Olivia Bader-Lee, médica e terapeuta, acompanhou os resultados desta pesquisa e garante que esse mesmo princípio de absorção de energia pode ser observado em humanos.

A ciência que estuda o comportamento da energia nos seres vivos é chamada de bioenergética, e é um dos ramos da biologia. Pois bem, esse achado abalou a bioenergética, pois haveria evidências de que organismos “roubam” energia de outros, e que isso também aconteceria em seres humanos.

Esta pesquisa foi realizada em algas, especificamente Chlamydomonas reinhardtii. Nelas foi descoberto que, além da fotossíntese, também teria uma fonte alternativa de energia e que consistiria em absorver energia de outras algas. O responsável pela pesquisa é o biólogo alemão Olaf Kruse.

De acordo com Bader-Lee, nossos corpos seriam como esponjas, absorvendo a energia que está ao seu redor. “É exatamente por isso que há pessoas que se sentem incomodadas quando existe um determinado grupo com uma mistura de energias e emoções”, afirma.

“O corpo humano é muito parecido com uma planta, absorve a energia necessária para alimentar seu estado emocional, pode energizar células ou aumentar a quantidade de cortisol e catabolizar, alimentar células dependendo da necessidade emocional”, continua. Bader-Lee.

É por isso que muitas pessoas podem mudar nosso estado de espírito, deixando-nos nervosos, estressados, com raiva, ansiosos, tristes, mas também felizes, otimistas e risonhos.

Bader-Lee garante que ao longo dos séculos o homem perdeu aquele vínculo com a natureza, no qual a troca de energias poderia trazer enormes benefícios para a humanidade. 

Basta sair um dia para a floresta para sentir que a energia é diferente, como se ela fluísse mais livremente pelo nosso corpo e nos sentíssemos simplesmente mais fortes e com melhor ânimo.

A ciência moderna, diz Bader-Lee, especializou-se em fenômenos físicos, mas negligenciou os fenômenos espirituais. Em última análise, espírito é energia, e o que chamamos de “sobrenatural” nada mais é do que a manifestação de várias energias no mundo. 

Isso já era conhecido nas culturas ancestrais de todos os continentes, mas a ciência decidiu omitir e poucos cientistas ousam tratar dessas questões, por medo de críticas e rejeição por parte da comunidade científica.

Deixe uma resposta